1ª fase - CANDIDATURA
2ª fase - AVALIAÇÃO
3ª fase - FINANCIAMENTO

4ª fase - IMPLEMENTAÇÃO

Surfing4Citizenship: Surf, Cidadania e Bem-estar
Reserva Mundial de Surf da Ericeira | Infância/juventude


Apoio solicitado 2.000,00€


1.000,00€1.000,00€
50% ACM
Apoiante 100% (1.000,00€)
faltam (0,00€)








Objetivo

Desenvolver um projecto piloto na Reserva Mundial de Surf da Ericeira, que valide um programa pedagógico inovador de desenvolvimento de competências civicas/cidadania assente na pratica do Surfing.



Descrição

Eixo de Intervenção:

Eixo V – Politicas de Incentivo ao acompanhamento e apoio ao regresso dos Cidadãos Nacionais Emigrantes no dominio do reforço dos laços com Portugal contribuindo para a reversão do movimento emigratório de cidadãos para o Estrangeiro.

 

Publicos-Alvo:

Jovens estudantes com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos, pertencentes a diversos contextos de desfavorecimento que nunca tenham contactado com o mar e ou com a pratica das modalidades de surfing, designadamente:
• Minorias etnicas;
• Refugiados;
• Filhos de emigrantes;
• Filhos de Imigrantes;
• Residentes em zonas rurais;
• NEET.

 

Objetivos:

No contexto europeu e mundial podemos afirmar que a educação para a saúde e a educação científica são duas das grandes prioridades políticas da UE e são pilares transversais à Estratégia Europa 2020 que preconiza um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo.

A prática da atividade física e desportiva é uma prioridade atual, quer pelo reconhecimento da sua importância como premissa para a criação de inovadores ambientes de aprendizagem mais atrativos para as crianças, jovens, adultos ou seniores quer pelo impacto direto na melhoria da qualidade vida dos cidadãos quer pela dinâmica, motivação e contexto relacional que proporciona aos seus praticantes.

Considerando os preocupantes elevados níveis de sedentarismo que a Europa enfrenta, é urgente promover de forma sustentável a prática atividade física e desportiva desde a fase de crianças/jovens até à fase mais sénior.

Com esta candidatura temos por objectivo desenvolver um projecto piloto na Reserva Mundial de Surf da Ericeira, que valide um programa pedagógico inovador de desenvolvimento de competências civicas/cidadania assente na pratica do Surfing com possibilidades de replicação e desenvolvimento a um nivel mundial envolvendo a rede de surf cities.

Esta metodologia assenta no trabalho de pesquisa realizado durante 5 anos pelos investigadores do CIDESD – Research Center in Sport Sciences, Health Sciences and Human Development da Universidade da Beira Interior que envolveu mais de 500 crianças e jovens do agrupamento de escolas da Covilhã (1.º ciclo, 2.º ciclo e 3.º ciclo).

O projecto piloto Surfing4citizenship contemplará uma abordagem sistémica, que integra a promoção da pratica desportiva com o desenvolvimento da cidadania (literacia social e o processo de construção da cidadania europeia), da educação pelos valores (justiça, igualdade, literacia social) e para a saúde (congregando conceitos ligados a) promoção de comportamento e hábitos de vida saudáveis, b) alimentação equilibrada e saudavel, c) combate à obesidade, d) posturais).

Será estruturado numa lógica de gamificação do sistema de aprendizagem em que o surf, o bodyboard e o SUP funcionam como ferramentas de desenvolvimento de competências educacionais, sociais, pessoais, profissionais e civicas e o mar como ambiente de aprendizagem formal, não formal e informal onde os jovens desenvolvem competencias experenciando e aplicando conhecimentos e conceitos adquiridos ao mesmo tempo que praticam as 3 modalidades de surfing.

Pretende-se, a medio-prazo, que os jovens com mais dificuldades de aprendizagem retenham conhecimentos, conceitos e desenvolvam competências nos dominios das STEM (cientificas, tecnologicas, engenharias e matemáticas), do empreendedorismo, e do inglês, conjugadas com as tecnicas utilizadas nas modalidades de surfing (onde se aplicam conceitos matematicos, de fisica, de geografia, de biologia, etc…) e com os valores que o surfing representa aos niveis ambiental, social, economico e do desenvolvimento humano potenciando uma cidadania mais ativa e mais participativa.

Assim,
Através deste piloto pretende-se aferir da possibilidade em adaptar e validar a metodologia inovadora do CIDESD adaptando-a à pratica do SURFING (SURF, Bodyboard e SUP), envolvendo agrupamentos escolares a um nivel nacional e orientando-a para publicos-alvo com maiores dificuldades na aprendizagem pertencentes ao 3.º ciclo (idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos).

Pretende-se igualmente desmistificar que a prática do Surfing está associada aos desportos “caros” que necessitam de investimentos que não estão ao alcance de todos.

Por outro lado sendo um desporto de forte implementação no litoral, onde a distância e a geografia económica assumem um papel relevante no seu desenvolvimento, pretende-se socializar esta pratica desportiva nas regiões mais interiores e rurais de Portugal e trazer os seus habitantes até ao litoral para praticar Surfing pois a tendencia mundial quer a através do desenvolvimento das piscinas de ondas artificiais quer através do SUP, estamos na presença de um fenómeno em que será possivel, a curto prazo, a realização destas praticas em regiões onde não existe mar mas onde existem rios, barragens, albufeiras, etc...

Tendo como base estas permissas, o Ericeira Surf Clube com o apoio da Camara Municipal de Mafra pretende, desenvolver um piloto em 2016, através do estabelecimento de um conjunto de protocolos com varias Autarquias do interior de Portugal, e bem assim, com as freguesias mais rurais do Concelho de Mafra, para proporcionar a 50 jovens, com idades compreendidadas entre os 13 e os 16 anos, provenientes de vários contextos de desfavorecimento, a possibilidade de experimentarem a prática do Surfing e, simultaneamente, desenvolverem competências sociais e comportamentais alinhadas com os valores e os principios da cidadania europeia.

 

Neste sentido, o projecto Surfing4citizenship possui 4 dimensões que consideramos relevantes:

1 – Socializar a pratica desportiva do surfing, os seus valores e a sua cultura junto de jovens provenientes de diferentes contextos de desfavorecimento que nunca tenham tido contacto com o mar e ou com esta modalidade desportiva.

2 – Promover a equidade e a inclusão social conectando o SURFING à educação, à formação e à aprendizagem ao longo da vida:
• Promover a educação para o desporto como factor de desenvolvimento psicossocial alinhado com os valores e a cultura do surfing motivando os jovens a construir planos de desenvolvimento pessoal que integrem estilos de vida saudavel onde o exercicio fisico e a alimentação equilibrada seja uma pratica regular;
• Reforçar a imagem do SURFING enquanto instrumento de empregabilidade, de combate à pobreza e exclusão social, abrangendo neste âmbito jovens portadores de deficiência (trissomia 21 e deficientes motores) estimulando-se igualmente a igualdade de oportunidades de genero onde 25% dos participantes serão raparigas, dada a dificuldade em desenvolver talentos no Surfing no segmento feminino.

3 – Desenvolver a Coesão territorial: Reforçar a imagem do SURFING enquanto instrumento de desenvolvimento economico de base territorial com capacidade para potenciar as competencias distintivas e as vantagens competitivas das suas regiões, mediante o desenvolvimento de uma rede colaborativa multisectorial aos niveis local (piloto) nacional (2.ª fase) e internacional (3.ª fase) que conecte a região e os operadores da Reserva Mundial de Surf da Ericeira com outros parceiros a um nível nacional, europeu e mundial, envolvendo, neste processo, as comunidades portuguesas além mar (PALOPS) estabelecidas ou proximas das regiões icones do SURFING (América do Norte e do Sul, França, Africa do Sul, India, Indonesia, Australia, etc…), potenciando e contribuindo para:
- Estimular a troca de experiências, a partilha de conhecimento, a cooperação inter-regional;
- Socializar, promover e desenvolver a pratica do Surfing a um nivel nacional, regional e local;
- Disseminar e transferir boas práticas entre regiões e entre stakeholders;
- Potenciar a criação de valor para a fileira multisetorial da economia do surf conectando operadores de educação e formação, agrupamento de escolas, clubes e escolas de surf, hotéis e surf camps, restauração, rent-a-car, operadores de animação turística, agentes culturais, património, eventos (desportivos, formativos e corporativos), indústria do entretenimento, serviços de proximidade (solidariedade, assistência social e economia social de mercado);
- Promover a região e os operadores em mercados emissores de turistas-praticantes posicionando-os como operadores que possuem uma oferta diversificada, inovadora e de qualidade superior com preocupações sociais e ambientais;
- Melhorar o desempenho das organizações ligadas ao mercado do surfing;
- Apoiar a estruturação de uma oferta GLOCAL e de experiencias de produtos e serviços alinhada com as necessidades e expetativas da procura global que beneficiem os pequenos produtores locais;
- Conectar a autarquia com outras autarquias estimulando a criação de redes, que permitam o desenvolvimento de projetos geminados que traduzam impactos ao nível económico, social, ambiental e humano, e no desenvolvimento do negócio do SURFING a um nível regional e local;

4 – Trabalhar em parceria: O projecto prevê a criação de uma rede colaborativa multisectorial de base territorial promovida pela Reserva Mundial de Surf da Ericeira que congrega a Camara Municipal de Mafra, o Ericeira Surf Clube e a sua rede de parceiros locais, nacionais e internacionais. Integrará as Autarquias e Agrupamentos Escolares das regiões da Covilhã, Castelo-Branco, Penamacor, Bragança, Guarda, Campomaior, Elvas, Penacova, Brotas, Landal, Rio Maior, Miro e de Mafra. A rede de parceiros integra, entre outros, a Universidade da Beira Interior, Escolas e clubes de Surfing, Empresas de Formação Profissional e de Coaching Desportivo, Instituto de Socorros a Naufragos, Autoridade Marítima Nacional, Federação Portuguesa de Surf, Federação Portuguesa de Surf Adaptado, Santa Casa da Misericordia da Covilhã, CEBI, Ericeira Camping, Giatul, Ericeira Business Factory, as revistas especializadas Surf Portugal e Surf Total, bem como, a rede das World Surf Cities Network e das World Surfing Reserves como observadores.

 

Como parceiros de valorização contamos com o apoio da Camara Municipal de Mafra, Junta de Freguesia da Ericeira, Escola Secundaria José Saramago, EB23 da Ericeira, das marcas Billabong, Quick Silver, Semente, Board Culture, Mica Surfboards e de outros operadores locais.

Dada a relevância social do projeto, preconizamos o envolvimento e o patrocinio, a titulo pro-bono, de Atletas locais de Alta Competição enquanto Embaixadores do Projecto, nomeadamente, Tiago Pires, Tomás Fernandes, Carina Duarte e Ana Sarmento (Surf); Filipe Cabrela e Nuno Leitão (Bodyboard); Gustavo Froufe e João Paulino (SUP).

Os embaixadores apoiarão quer a promoção e disseminação do projecto a um nivel nacional e internacional, quer a interacção com os jovens nos planos de promoção da actividade desportiva e de desenvolvimento pessoal, transmitindo, de forma informal, valores, conhecimentos, saberes e experiências com vista a incutir nos mais jovens responsabilidade, individual e social, auxiliando na construção de uma sociedade mais justa, solidária e atenta aos problemas económico-sociais. Serão abordadas varias temáticas como a luta contra a dopagem, prevenção e eliminação da violência e da intolerância, melhorar a saúde através do exercicio fisico regular, etc...

 

São objectivos do programa Piloto Surfing4Citizenship:
• Promover os valores da cidadania activa junto jovens através da pratica do Surfing;
• Divulgar a pratica do Surfing junto de jovens estudantes com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos, designadamente filhos de emigrantes ou de imigrantes, refugiados, portadores de deficiencia, minorias etnicas, mulheres, etc…;
• Promover o Surfing junto de camadas da população mais desfavorecidas que nunca tenham tido contacto com o mar ou com a pratica do surfing;
• Despertar o interesse e gosto para a prática destas modalidades que têm ainda pouca expressão no interior do nosso país, principalmente nas zonas mais rurais;
• Promover estilos de vida saúdavel e a prática regular do exercicio fisico junto dos jovens;
• Detectar talentos nestas modalidades e incentivá-los para a sua prática regular;
• Promover a equidade e a inclusão social conectando o SURFING à educação, à formação, à aprendizagem ao longo da vida e à inclusão social:
• Promover a educação para o desporto como factor de desenvolvimento psicossocial alinhado com os valores e a cultura do surfing motivando os jovens a construir planos de desenvolvimento pessoal que integrem estilos de vida saudavel onde o exercicio fisico e a alimentação equilibrada seja uma pratica regular;
• Reforçar a imagem do SURFING enquanto instrumento de empregabilidade e de combate à pobreza e exclusão social, despertando o interesse nos jovens para a elevada empregabilidade existente no sector da economia do surf e na fileira do turismo da nautica e do recreio quer a um nivel nacional quer mundial;
• Reforçar a imagem do SURFING enquanto instrumento de coesão territorial, mediante o desenvolvimento de uma rede colaborativa multisectorial de base territorial promovida pelo Ericeira Surf Clube e a sua rede de parceiros locais, nacionais e internacionais que conecte a região e os operadores da Reserva Mundial de Surf da Ericeira com outros parceiros a um nível local, regional, nacional e mundial.
• Envolver Atletas de Alta Competição enquanto Embaixadores do Projecto para conviver e transmitir saberes e experiências aos jovens.
• Desenvolver a cooperação internacional, envolvendo as comunidades de emigrantes além mar com vista a funcionarem como alavancas/agentes de cooperação e desenvolvimento de novos negócios que potenciem a inovação e a criação de valor nos seus territorios/regiões nacionais de origem, onde o surfing funciona como uma charneira de desenvolvimento económico-social.
São metas do plano de actividades do Projecto Piloto Surfing4Citizenship (2016):
• Abranger 50 Jovens com idades compreendidas entre 13 e 16 anos com dificuldades de aprendizagem e pertencentes a variso contextos de desfavorecimento.
• Aplicar e validar a metodologia CIDESD no âmbito da cidadania através da pratica de Surfing;
• Apoiar o desenvolvimento de uma rede colaborativa e de um consórcio nacional e internacional que congrega atualmente 35 stakeholders, incluindo vários parceiros pertencentes à rede internacional de surf cities (10).
São metas do plano de actividades do Projecto Surfing4Citizenship a médio prazo (2017-2018):
• Envolver 1.000 Jovens na pratica do surfing;
• Socializar o projecto junto de 50.000 jovens potenciando as redes sociais
• 3000 horas de pratica desportiva;
• 2.000 aulas de surfing (1000 Jovens experimentarão a pratica do surf e destes 750 experimentarão também a prática do Bodyboard e 250 jovens (provenientes das regiões mais interiores de Portugal) experimentarão a prática do SUP;
• 500 jovens pertencentes a regiões do interior de Portugal que nunca tiveram contacto com o mar ou com a pratica desportiva;
• 10 % de jovens portadores de deficiência;
• 25% de jovens do sexo feminino;
• 50 treinadores e professores;
• 70 auxiliares e acompanhantes (racio 1 auxiliar por cada 15 alunos);
• 80 aulas de surfing com 25 alunos/aula (2 professores certificados e 2 professores estagiários);
• 30 ações de formação para jovens com 80 horas em workshop = 36.000 horas;
• 450 jovens formandos (100 portadores de deficiência);
• 5 sessões de capacitação de treinadores com 52 horas de formação;
• 125 professores e treinadores;
• 6.500 horas de capacitação de treinadores e formadores
• 75.900 horas de capacitação
• 78.900 horas de actividade (desportiva + formação)
• 7 formadores certificados (2 Prof.Doutorados em Desporto);
• Total de 75.900 horas de Formação;
• Total de 78.900 horas de actividade (pratica desportiva + formação);
• 5200 refeições;
• 30 Voluntarios;
• 10 Escolas de Surfing;
• 12 Autarquias Locais;
• Rede colaborativa multisectorial com 35 parceiros;
• 10 parceiros de mass-media;

 

O projecto preve, numa 2.ª fase, a criação de uma rede colaborativa de parceiros que engloba autarquias, agrupamentos de escolas, escolas de surfing, ONG, Universidades, empresas de formação, marcas mundiais de surfing, parceiros de mass media, entre outras, contando igualmente com a rede de surf cities a um nivel mundial como OBSERVADORES - Chile (Arica), Brasil (Santos), Portugal (Viana do Castelo, Ericeira), Espanha (San Sebastian e Las Palmas), França (Hossegor), Africa do Sul (Durban), Australia (Newcastle) e Nova Zelandia (New Plymouth) – que estarão presentes em Portugal em Outubro de 2016 onde será apresentado e discutido o projecto.

Numa 3.ª fase, o projecto será replicado pela rede de surf cities a um nivel mundial pretendendo-se o envolvimento das comunidades portuguesas nestes Países no sentido de reforçar os laços entre comunidades sendo o surf a charneira do desenvolvimento da cooperação entre estes países e a comunidade emigrante portuguesa local.

O consorcio que se está a montar reune atualmente uma rede colaborativa com 35 parceiros de 12 Paises de forma a construir um consórcio internacional Surfing4citizenship para replicar e validar o projecto nestes países: Chile, Brasil, Espanha, França, Africa do Sul, Australia e Nova Zelândia envolvendo as comunidades emigrantes portuguesas locais e conectando-as com as comunidades de maior proximidade pertencentes aos PALOPS (Cabo-Verde (1.º spot mundial de kitesurf e Windsurf), Moçambique, Angola, Timor-Leste).

Local:
Reserva Mundial de Surf da Ericeira – freguesias do Concelho de Mafra.

Descrição:

O projecto piloto surfing4citizenship abrangerá as actividades desportivas de surf, bodyboard ou SUP, a realizar na Reserva Mundial de Surf da Ericeira.
O programa de desenvolvimento de competências será estruturado numa logica de Bootcamp com duração de 2 dias, onde 50 jovens com idades compreendidas entre os 13 e 16 anos terão acesso à pratica do surfing. Todos experimentam 2 actividades desportivas (Surf + Bodybord ou SUP). O SUP será experimentado pelos Jovens provenientes das regiões mais interiores de Portugal.

Serão realizadas 200 horas de pratica desportiva às quais acrescerão 100 horas de sensibilização e capacitação dos publicos alvo sobre questões de cidadania, empreendedorismo e actividades ludicas.

A pratica desportiva será conjugada com workshops de desenvolvimento de competências de cidadania e um roteiro de actividades ludicas orientado para conectar os jovens à reserva mundial de surf da ericeira (caminhadas e visita ao centro intrepretativo da reserva mundial de surf), à cultura e ao patrimonio local (palacio de Mafra, Tapada de Mafra), à industria (fabricas de pranchas Semente, Boardculture ou Mica), às marcas mais representativas deste sector (Billabong e Quicksilver) bem como a varias actividades relacionadas com a fileira do turismo da nautica e do recreio, para criarem uma visão de empregabilidade deste sector que vem crescendo exponencialmente quer em Portugal quer a um nivel Internacional.

Os jovens terão igualmente a possibilidade de conviver com alguns dos nossos maiores atletas nacionais que partilharão com eles a sua experiencia e passarão informalmente os valores do surf e como estes poderão funcionar como referencias que podem aplicar à sua vida pessoal e profissional.

Todos os jovens fora do concelho de Mafra ficarão instalados no Ericeira Camping e efectuarão as actividades desportivas nas praias da reserva mundial de surf da ericeira.

Todos os professores e treinadores de surf são certificados pela Federação Portuguesa de Surf e os consultores/formadores pessoas certificadas e com vasta experiência profissional na sua área de expertise.

Todas as actividades realizadas irão seguir um programa previamente delineado pela equipa técnica do ESC orientado cientificamente pela Unidade do CIDESD da Universidade da Beira Interior.

O programa será criado de forma a estar adequado às necessidades e disponibilidade escolar dos estudantes.

A equipa do Ericeira Surf Clube está preparada para enquadrar 15-20 jovens por actividade, podendo em casos pontuais aumentar o número de participantes.

O programa será desenhado, implementado, desenvolvido durante 8 meses, com arranque em Janeiro e conclusão das actividades em Agosto de 2016. A metodologia será objecto de avaliação até Dezembro 2016.

A todos os participantes será atribuido equipamento desportivo (fato, prancha, licra, botas), deslocação, estadia e alimentação (pequeno almoço, almoço, lanche e jantar).

Os Agrupamentos Escolares que aderirem ao projecto terão apenas de agendar o dia em função do plano de eventos, garantindo também o transporte até ao local de realização da actividade, havendo para isso um acordo com as respectivas Autarquias com o objectivo de reduzir custos.

Programa (simulação):
Dia 1
08:00 11:00 Chegada à Ericeira
11:00 12:00 Chek-In Ericeira Camping
12:00 12:45 Acolhimento
13:00 14:30 Almoço
14:30 16:00 Workshop/ Reserva Mundial Surf - Pratica Desportiva Surfing
16:00 17:30 Workshop/ Reserva Mundial Surf - Pratica Desportiva Surfing
17:30 18:00 Lanche
18:00 19:00 Visita Ericeira - Centro Interpretativo da Reserva Mundial Surf/Workshops
19:15 20:15 Jantar
20:30 22:30 Workshop sobre o Surf

Dia 2
08:00 09:00 Pequeno Almoço
09:00 11:00 Workshop/Caminhada Reserva Mundial Surf - Pratica Desportiva Surfing
11:00 13:00 WorkShop/Caminhada Reserva Mundial Surf - Pratica Desportiva Surfing
13:00 14:30 Almoço
14:30 16:00 Caminhada Reserva Mundial Surf - Pratica Desportiva Surf/BodyB
16:30 Despedida

Dado o publico-alvo a abranger (estudantes), as iniciativas serão realizadas durante o periodo escolar ou de férias escolares, mas com especial enfoque nos seguintes dias:
- Dia Mundial da Actividade Fisica (6 de Abril 2016);
- Feriado Municipal – 5.ª feira de Espiga (5 de Maio 2016);
- Dia da Europa (9 de Maio 2016);
- Dia de Portugal e das Comunidades (10 de Junho 2016);
- Dia Internacional do Surfing (21 de Junho 2016);
- Dia Europeu da Juventude (12 de Agosto 2016);
- Semana Europeia do Desporto (Setembro 2016);
- Dia Comemorativo da Reserva Mundial de Surf da Ericeira (14 de Outubro);
- Dia Nacional do Mar (16 de Novembro 2016).

No âmbito do apoio operacional ao desenvolvimento das actividades de acolhimento, acompanhamento e gestão das visitas dos jovens e ao apoio à organização e execução dos eventos, ações de capacitação e de workshops de desenvolvimento pessoal dos públicos-alvo, este trabalho terá o apoio de 30 Jovens Voluntários de Organizações Locais da Juventude e Estagiários do curso Profissional de Turismo da Escola Secundaria José Saramago e do Curso Vocacional de Mar e Turismo da EB23 da Ericeira.

Á data desta candidatura o Projecto Surfing4citizenship não possui qualquer apoio de outro Programa ou de outra instituição. Trata-se de um projecto piloto que vai ser implementado, avaliado e caso tenha indicadores de sucesso e consiga gerar impactos positivos quer no crescimento da actividade desportiva junto dos publico-alvo quer ao nivel da modificação de comportamentos, será objecto de continuidade e replicação a um nivel nacional e internacional com o suporte da rede de parceiros do ESC.

 

Equipa Técnica

Miguel Barata de Almeida | Diretor Técnico Formador | Licenciado Gestão Turistica e Hoteleira. Certificado pela Federação portuguesa de Surf; Juiz de surf; CAP.

Miguel Toscano | Coordenador de Projecto Formador | MBA em Gestão; Licenciado em Economia do Desenvolvimento; Gestor de Projectos de Eurofunding; CAP

Kelly Lemos O’Hara | Formador / Investigador | Doutorada em Ciências do Desporto pelo CIDESD/UBI

Dulce Leal Esteves | Formador / Investigador | Doutorada em Ciências do Desporto pela CIDESD/UBI

Filipe Valadão | Treinador Nível 2 | Licenciado Educação Fisica e Desporto; professor certificado pela FP Surf

Axel Bellino | Treinador Nível 1 | Mestrado em Treino Desportivo e Desporto; professor certificado pela FP Surf

Sergio Guerreiro | Formador em Coaching | Pos graduado em Recursos Humano; Coach certificado; Licenciado em Relações Internacionais.

Treinadores e Professores de surfing | A definir | Todos certificados pela Federação de Surf

 

 

Cronograma de implementação:
Cronograma de Actividades

1ª Fase – Concepção do Projecto (Dezembro 2015 – Janeiro 2016)
• Candidatura do Projecto através da Plataforma 50-50

2ª Fase – Operacionalização do Projecto (Janeiro de 2016)
• Definição da equipa de trabalho e do modo de actuação bem como a criação da imagem corporativa, logotipo do projecto;
• Definição do Plano de Actividades;
• Definição do Plano de Disseminação e Divulgação do Projecto;
• Estabelecimento das parcerias estratégicas e celebração de Protocolos de Acordo e Compromisso com as Autarquias Locais e o Agrupamento de Escolas;
• Celebração de Protocolo de Acordo e Compromisso para integração de estagiarios com a Escola Secundária José saramago e ED23 Dr. Antonio Bento Franco da Ericeira;
• Angariação de stakeholders de valorização (patrocínios);
• Definição do Plano de Agendamento de Eventos;
• Definição da Arquitectura Digital do Projecto;
• Contratação de Recursos.

3ª Fase – Arranque do Projecto (Fevereiro a Abril de 2016)
• Divulgação e agendamento das actividades (escolas, agrupamentos de escolas e associações de professores)
• Angariação de stakeholders de valorização (patrocínios);
• Divulgação aos Media nacionais e internacionais;
• Criação da plataforma social media marketing multicanal do projecto orientada para as Redes Sociais;
• Formação de Treinadores e Professores de Surfing.

4ª Fase – Execução do Projecto (Fevereiro a Agosto de 2016)
• Realização das actividades de promoção de Actividade desportiva, realização de workshops de desenvolvimento pessoal com os jovens, nas datas acordadas com as escolas;
• Actualização permanente das plataformas de divulgação com fotografias vídeos e testemunhos;
• Ações de disseminação e promoção;
• Seminario na Ericeira (Agosto 2016) aquando do Surf Film Festival da Ericeira;
• Apresentação de Relatório de Avaliação final do projecto;

5ª Fase – Disseminação e Preparação da 2.ª fase (Agosto-Dezembro 2016)
• Ações de diseminação através de workshops locais e ações de social media marketing potenciando as redes sociais
• Seminário rede internacional de surfcities – apresentação dos resultados do projecto (Outubro 2016).
• Disponibilização on-line do e-book do projecto com metas atingidas, recomendações.
• Preparação da 2.ª fase do projecto a um nivel nacional.



Orçamento

Estadias
500,00€



Alimentação
600,00€



Aulas de surfing/aluguer material
600,00€



Deslocações / actividades ludicas
100,00€



Seminario de Fecho e marketing
200,00€



Total: 2.000,00€


Cronograma de Implementação

1ª Fase - Concepção do Projecto (Dezembro 2015 – Janeiro 2016)
31/01/2016



2ª Fase - Operacionalização do Projecto (Janeiro de 2016)
31/01/2016



3ª Fase – Arranque do Projecto (Fevereiro a Abril de 2016)
30/04/2016



4ª Fase – Execução do Projecto (Fevereiro a Agosto de 2016)
31/08/2016



5ª Fase – Disseminação e Preparação da 2.ª fase (Agosto-Dezembro 2016)
31/12/2016



Entidade

Ericeira Surf Clube

Partilhar
FacebookTwitterGoogle+Share

Apoiantes

Pedro Cruz

Magikvanilla

Blue Buddha

Tubo Ericeira Bar Lda

Edward Dias Silva

ekatik actividades de restauração lda.

restauranteprim

Cervejaria 7 Janelas

CONQUISTA TESOURO LDA

Ericius, Atividades Hoteleiras, Lda.

Life Needs Pauses Lda